Português Inglês Holandês

Alex Salim

Quem é Alex Salim - Fotógrafo Documental

Mineiro, de Lavras e radicado na cidade de São Paulo desde 1984, Alex Salim ficou empolgado pela fotografia aos quinze anos, quando ganhou sua primeira câmera fotográfica.

Graduado em Engenharia de Agrimensura, passou também pela Engenharia Agrícola e Geologia. Salim abandonou esta profissão e passou a dedicar-se exclusivamente à fotografia nos anos 80.

Fascinado pela arte e arquitetura barroca e rococó, passou a fotografar cidades coloniais brasileiras. Salim possui um dos mais importantes arquivos fotográficos das cidades coloniais mineiras e atualmente dedica-se às cidades coloniais brasileiras com registros de monumentos e sítios históricos do Sudeste, Nordeste e Sul do país. Cada vez mais envolvido neste assunto, passou a pesquisar e a direcionar seu trabalho para uma linha arquitetônica e artística mais objetiva, sempre buscando orientação de professores e pesquisadores especializados.

Alex Salim, ao lado disso, iniciou um projeto para divulgar aspectos da cultura negra pouco conhecidos nos grandes centros do Sudeste, visando preservar a identidade cultural étnica.

Assim, a festa do Congado dos Negros de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito é um tema que ele também acompanha e registra há mais de quinze anos. Desde sua infância em Campo Belo e em Divinópolis, ambas em Minas Gerais, Salim admirava o colorido das fitas, o batido das varas de Vilão e das caixas de couro e madeira, principalmente do Moçambique.

Com o aumento de pedidos de ilustrações por parte de editoras didáticas, ele montou um banco de imagens distribuídos em vários temas, com maior enfoque para cidades Brasileiras, com destaque nas Coloniais Mineiras que vão desde a arquitetura de centros urbanos e cidades coloniais, registros da cultura popular, de fauna e flora, assim como cenas do cotidiano e da população brasileira. Esse banco totaliza mais de 40.000 imagens, em slides (cromos). Além de negativos cor e preto e branco, produzidos em formatos 35mm, 6x7 e 4 x 5. Também conta com fração significativa de imagens de muitas cidades da América do Sul, da Europa, e Líbano.

Imagens suas já foram expostas em museus e centros culturais do Brasil, Dinamarca, Itália e Inglaterra. Além disso tem diversas de publicações em veículos nacionais e internacionais, como a Time -USA e a Panorama - Panamá.

Em 2003 e 2005 registrou o país de seus avós, o Líbano. Lá suas imagens buscaram registrar a arquitetura restaurada e a cultura milenar de origem fenícia, além de paisagens, culinária e obras de arte.

Durante o ano de 2005 fotografou o Barroco e Rococó em várias cidades da Alemanha, Portugal, Itália, França e também Bélgica, Holanda, Suécia, Luxemburgo e Suíça.

Seu trabalho tem sido requisitado por agências de propaganda e editoras didáticas. Também decoração, arquitetura e design, cidades, meio ambiente, artes, indústria, foto aérea entre outros.

Atende a várias empresas dos setores públicos e privados, produzindo imagens nas áreas institucional e editorial.